Pesquisar no blog

sábado, 26 de fevereiro de 2011

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

TECNOLOGIA

Empresa canadense cria bicicleta elétrica sem fios e capaz de recarregar seu gadget

A Shadow Bike armazena energia gerada pelas suas pedaladas e transfere eletricidade para seus aparelhos via porta USB


A fabricante de bicicletas canadense Daymak resolveu dar um salto evolutivo na sua linha e criou uma bicicleta elétrica, sem fio, e que ainda por cima armazena energia gerada pelas suas pedaladas para carregar seus gadgets.
A primeira pergunta que você deve estar se fazendo é: “como assim, sem fio?”.
A Shadow Bike literalmente não tem nenhum fio ou cabo. Marchas, freio ou eletricidade, tudo funciona sem fio nesta bicicleta.
Tudo é gerenciado por um controlador que fica na roda da frente, que também armazena uma bateria de íon de lítio, o motor, um LED para mostrar a quantidade de energia armazenada e a entrada do cabo de carregamento (pelo menos um cabo tinha que existir, não é mesmo?) e uma porta USB.
Cada pedalada gera mais energia que pode ser usada tanto para movimentar a própria bicicleta quanto para carregar aparelhos através da porta USB.
Existem duas opções de motor, com 250W e 350W. A bateria de 36V leva cinco horas para ser recarregada e o fabricante promete uma autonomia de até 40 quilômetros.
O único problema com a Shadow Bike é seu preço. Ela custa salgados US$ 1999. Lá no Canadá.
Maiores informações no site: http://www.shadowebike.com/

sábado, 12 de fevereiro de 2011

REVOLUÇÕES POR MINUTO

Vaticano: Não! A confissão não pode ser feita no iPhone...

A confissão não pode ser realizada nos aparelhos iPhone, explicou o porta-voz do Vaticano, padre Federico Lombardi, em seguida ao lançamento, nos Estados Unidos, de um aplicativo da Apple batizado "Confissão", destinado a guiar os fiéis para a absolvição.

"É essencial compreender bem que o sacramento da penitência demanda necessariamente uma relação de diálogo pessoal entre o penitente e o confessor, e a absolvição do sacerdote presente. Isso não pode ser substituído por nenhum aplicativo da informática", afirmou à imprensa o padre Federico Lombardi, diretor da assessoria de imprensa do Vaticano.

"É preciso insistir nisso para evitar toda a ambiguidade, não se podendo falar de forma alguma de 'confissão pelo iPhone'", destacou.

O aplicativo, criado pela empresa Little iApps, é vendido por 1,99 dólar no iTunes.

Para levar os fiéis a confessarem os pecados, o aplicativo propõe a eles responder a perguntas para verificar se se comportam de acordo com as regras fixadas pelas Escrituras, como por exemplo "Esteve envolvido em práticas ocultas?", ou "Procurou transmitir a Deus todo o amor de seu coração?".

Seu criador, Patrick Leinen, explica que foi concebido para ser utilizado no confessionário, sendo destinado "aos que vão à missa. Nossa vontade é convidar os católicos a expressar sua fé através das novas tecnologias".

"No mundo onde numerosas pessoas utilizam suportes informatizados para ler e refletir (...) não podemos impedir o apoio em ferramentas digitais"; uma pessoa pode até fazer sua confissão em particular, mas "isso não substitui em nenhum caso o sacramento"

Christina Aguilera erra hino americano em SuperBowl marcado por falhas

A 45ª edição do Super Bowl, que marca o fim da temporada da liga profissional do futebol americano, foi marcada por uma série de erros e falhas, sendo a mais grave delas a performance de Christina Aguilera ao cantar o hino dos Estados Unidos.
Aguilera, que abusou de caras, bocas e notas altas ao executar o hino americano antes da partida entre Green Bay Packers e Pittsburgh Steelers, esqueceu uma estrofe, substituindo-a por uma variação de autoria própria da linha anterior.
"Posso apenas esperar que todos tenham sentido o amor que tenho por este país, e que o verdadeiro espírito de seu hino tenha transparecido", desculpou-se a cantora em um comunicado à imprensa.
Mas, mesmo antes da gafe de Aguilera, a confusão já havia se instalado no recém-inaugurado estádio do Dallas Cowboys devido a um problema com centenas de ingressos dos setores temporários.
No show do intervalo, mais falhas: um dos microfones apresentou problemas na futurista

Garoto de sete anos tentou comprar um avião de verdade pela internet


Aviões de brinquedo não estão com nada. O negócio é ter um jato de verdade no quintal de casa. Foi isso que um garoto de sete anos de idade, na Inglaterra, tentou fazer. Ele estava pela internet navegando no site de leilões gringo, o eBay, e revolveu clicar em “comprar agora” no anúncio de uma aeronave modelo Harrier Jump no valor de US$ 113 mil.
Porém, o garoto não imaginou que não teria o dinheiro para pagar o brinquedo novo. E seu pai quase surtou quando recebeu a conta do jato.
“Quando o pai do garoto nos ligou, ele desculpou-se com muito pesar. Então colocamos a aeronave à venda novamente. Dessa vez, utilizamos o esquema de venda por leilão, para que não ocorra outra confusão. E desde que o episódio veio à tona, o leilão está indo muito bem”, disse a loja Jet Art Aviation, que é dona do avião.

Ah, o modelo é real, tudo! Só viria sem as armas, algo que deixaria o garoto triste, né?

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011