Pesquisar no blog

banner

startMiner - free and simple next generation Bitcoin mining software

sexta-feira, 25 de junho de 2010

Um ano sem Michael Jackson

Há um ano a notícia da morte de Michael Jackson surpreendeu e entristeceu o mundo, mas as vendas dos produtos que levam sua voz e imagem multiplicaram-se fortalecendo o legado de um artista adorado nesses meses em que as causas da parada cardíaca sofrida em 25 de junho de 2009 ainda são discutidas nos tribunais.
Em vida, o drama definia o destino do menino prodígio com voz angelical convertido em "superstar" pelo empenho do pai linha dura, Joe Jackson, que inclusive horas depois do falecimento de seu filho, aos 50 anos em Beverly Hills, afirmava: "É preciso lembrar o grande artista".
Dívidas estimadas em 500 milhões de dólares, viagens pelo mundo em companhia de seus três filhos mascarados e a expectativa de sua grande volta era o contexto no qual sobrevivia o artista, caído em desgraça por duas acusações de abuso contra menores que mancharam sua reputação e o obrigaram a se esconder em meio a excentricidades.
Mas a morte deu a ele o dom de "ressuscitar" artisticamente entre fãs do mundo inteiro, que em Los Angeles (Califórnia, oeste) poderão na sexta-feira visitar o cemitério Forest Law, a nordesde da cidade, para depositar flores, mas sem, entretanto, entrarem no mausoléu onde se encontra o músico, explicou um policial à AFP.
Após sua morte, foi iniciada uma investigação sobre as causas do falecimento do cantor, que apontaram imediatamente para seu médico pessoal, Conrad Murray, um homem também endividado que, quando recebeu o pedido de Jackson para que cuidasse de sua saúde no início de 2009, viu um contrato lucrativo que permitiria acabar com seus problemas financeiros.
Atualmente, Murray enfrenta acusação de homicídio culposo, após uma autópsia determinar que Jackson faleceu por uma overdose de anestésicos injetados vinte minutos antes de morrer sob os cuidados do médico.
Até agora não começou o julgamento por este caso e o médico apenas conquistou o direito de continuar exercendo a medicina.
O clã Jackson, mostrando-se unido nas batalhas judiciais referentes à morte de seu filho e irmão mais famoso, começou seu giro pelos tribunais de Los Angeles em julho para determinar quem cuidaria de Prince Michael, Paris e Blanket, os filhos de 13, 12 e 8 anos do músico.
A princípio, pareceu que a mãe biológica das duas crianças mais velhas, Debbie Rowe, ex-mulher de Jackson, pediria a custódia das crianças que apenas havia visto, mas rapidamente foi acordado que eles ficariam sob a tutela de Katherine Jackson, a avó de 80 anos que os levou para viver em sua casa em Encino, subúrbio de Los Angeles.
Para o filho mais novo apareceram em diversos tablóides diferentes mulheres reclamando a maternidade, cuja identidade nunca foi divulgada. Além disso, o silêncio dos Jackson murchou rapidamente as especulações sobre processos judiciais intermináveis que determinassem o futuro das crianças, que recebem uma mesada de 60 mil dólares da herança.
A menos de um ano da morte de Jackson, seu legado gerou lucros que chegam a 1,017 bilhão de dólares, segundo os cálculos da Billboard, citando os estúdios de música, cinema e a corporação AEG, responsável por organizar a volta do artista.
As músicas "Billie Jean" e "I'll be there" foram descobertas por jovens que perderam a Jacksonmania dos anos 80 e que redescobriram, com a morte do cantor, os hits dos 40 anos de carreira do Rei do Pop.

segunda-feira, 21 de junho de 2010

sábado, 19 de junho de 2010

É UMA PARTIDA DE FUTEBOL...

 
EM PLENA COPA DO MUNDO 2010, REALIZAMOS NO NOSSO ESPECIAL VIDA & MÚSICA UMA PROGRAMAÇÃO COM A BANDA MINEIRA SKANK, POR SER UM SINÔNIMO DE FUTEBOL EM NOSSO PAÍS.





DURANTE TODO O ESPECIAL CONTAMOS COM A PARTICIPAÇÃO DOS OUVINTES, RESPONDENDO AS PERGUNTAS RELACIONADAS A CARREIRA DO SKANK E CONCORRENDO A MUITOS PREMIOS NO OFERECIMENTO DE JESSE JAMES COMUNICAÇÃO E DOS NOSSOS COLABORADORES.


 

PARA ABRILHANTAR AINDA MAIS ESSE PROGRAMA, CONTAMOS COM A PARTICIPAÇÃO DA CANTORA DE IGARAPAVA "ELAINE MANSO" INTERPRETANDO DOIS SUCESSOS DA BANDA SKANK: "RESPOSTA" E "VOU DEIXAR"

 OBRIGADO A TODOS QUE ACOMPANHARAM NOSSO PROGRAMA E AOS NOSSOS COLABORADORES QUE SEMPRE ACREDITAM NO NOSSO TRABALHO!


  • NA ONDA DA MÚSICA
  • MACONE
  • IRON MUSCLES GYM
  • JORNAL DE IGARAPAVA
  • STUDIO VM CABELO E ESTÉTICA
  • SPASSO GRIFFEE
  • SR MÓVEIS 2 IRMÃOS
  • REVISTARIA CULTURA
  • HELP! INFORMÁTICA
  • CALHAS SILVA
  • O REI DA PIZZA
  • CANTINHO DO SPORT

domingo, 13 de junho de 2010

Os 10 jovens de sucesso que ditarão moda nos próximos anos

Por MARCELA FIGUEIREDO

Todo mundo, em algum momento da vida, teve algum ídolo que foi loucamente apaixonado. Comprava CDs, colecionava fotos de revistas, ficava de olho nos programas que ele apareceria e quando possível, fazia loucuras para poder estar perto.
Apesar de não ser uma regra, isso acontece geralmente na adolescência. Se o ídolo é do mesmo sexo o sonho é ser como ele. Já se é do sexo oposto, claro, vira um “sonho de consumo”.
Sabendo disso, o Famosidades separou para você uma lista com os 10 teens do momento. Serão eles que vão ditar os rumos da indústria do entretenimento nos próximos anos, no Brasil e no mundo.


Acompanhe o Famosidades no Twitter: http://twitter.com/Famosidades
Imagem: Arquivo Famosidades
Luan Santana: O cantor é definitivamente a maior revelação do gênero sertanejo universitário dos últimos tempos. Ele tem arrastado multidões por onde passa e sua música já saiu das rédeas do interior para conquistar as grandes metrópoles do país. Ele começou a fazer sucesso em barzinhos de Campo Grande, até lançar seu primeiro CD em 2009. Em poucos dias músicas como “Tô de Cara”, “Meteoro”, e “A Louca” já estavam na boca da galera e estouradas na mídia. A partir daí, Luan quebrou as barreiras e despontou como o primeiro ídolo adolescente do estilo. Suas músicas são mais destinadas a jovens, mas atraem todas as idades. Aos poucos ele se tornou a maior febre atual. Tudo isso com apenas 19 anos e um pouco menos de um ano de sucesso.
Imagem: Arquivo Famosidades
Justin Bieber: Em tempos de facilidades da internet, muitos artistas começaram a surgir por meio dessas divulgações. Entre todos que já apareceram, nenhum se compara ao fenômeno Justin Bieber. No final de 2007, Bieber e sua mãe começaram a postar vídeos no Youtube, para que sua família e amigos pudessem prestigiar. Ele gostava de postar suas versões de seus cantores preferidos como: Usher, Chris Brown, Stevie Wonder, Justin Timberlake e Ne-Yo. Bieber virou sucesso na internet e logo foi descoberto por grandes produtores. Daí para o álbum de estreia foi um pulo. Em 2009, lançou “My World” com quatro singles bem-sucedidos: "One Time", "One Less Lonely Girl", "Love Me" e "Favorite Girl". Só na primeira semana 137 mil cópias do álbum tinham sido vendidas. Em 2010, lançou a segunda parte do álbum. “My World 2.0” vendeu 283 mil cópias em sua primeira semana. E desde então, a nova sensação da música teen não sai das paradas e da cabeça dos adolescentes.  
Imagem: Arquivo Famosidades
Taylor Lautner: O ator ficou popularmente conhecido como o Jacob Black no filme “Crepúsculo”, em 2008. Agarrou com unhas e dentes o papel e conseguiu se manter na saga após engordar 14 quilos de puro músculo para “Lua Nova”, onde seu personagem se transformou em lobo, e deixou todo mundo babando com seu novo corpo escultural. Insubstituível, o ator terminou agora as filmagens para “Eclipse”, terceiro filme da saga, que chega ao Brasil dia 30 de junho. Sucesso de 10 entre 10 meninas da geração, Lautner também é garantia de sucesso profissional. Com apenas 18 anos, já se tornou o jovem ator mais bem pago de Hollywood, recebendo um cachê de US$ 7,5 milhões de dólares (cerca de R$ 14 milhões).
Imagem: Arquivo Famosidades
Dakota Fanning: Apenas com 16 anos, a atriz já soma 10 anos de carreira e mais de 20 filmes no currículo. Ela iniciou sua carreira aos 5 anos trabalhando em comerciais. Aos 8 anos se tornou a mais jovem indicada ao Screen Actors Guild Award, por sua atuação em “Uma Lição de Amor” (2001). A atriz cresceu e está ainda mais bonita! Com tamanho sucesso é uma forte candidata a ser uma das atrizes consideradas “Namoradinha da América”, trono que já foi de Meg Ryan. Um pouco mais madura, ela se aventura em novas experiências e deixa o lado angelical, ao qual estamos acostumados. Dakota fará parte de “The Runaways”. O longa conta a história da banda formada por garotas. No Brasil, o filme só chega em setembro, mas pelo visto as cenas são quentes. É Dakota de lingerie, é beijo gay com Kristen Stewart... O longa promete!
Imagem: Arquivo Famosidades
Caio Castro: O ator viu o sucesso acontecer muito rápido. Ele começou sua carreira desbancando 25 mil participantes em um concurso realizado pelo “Caldeirão do Huck” para entrar em “Malhação”. O campeão chegou meio tímido, mas de cara deu vida ao protagonista Bruno, seu primeiro personagem nas telinhas. A revelação que surgiu do nada virou um sucesso. Ele convenceu como ator e caiu nas graças do público adolescente. Antes de completar um ano de carreira, ele já era o campeão de cartas da Globo. E tem tudo para ser o futuro galã da emissora. Daí pra frente, em tempos que “Malhação” muda de elenco todo ano, Caio firmou seu personagem por três temporadas. Por que não continua na próxima? Ele vai fazer parte da próxima novela das 19h, “Ti ti ti”, que estreia em julho na Globo.
Imagem: Arquivo Famosidades
Demi Lovato: Ela faz sucesso em qualquer área que queira atuar. Como atriz, é mais conhecida por ser a personagem principal do filme da Disney Channel, “Camp Rock”. Já na carreira musical, começou recentemente, em 2008. “Don’t Forget” estreou já vendendo 90 mil cópias apenas na primeira semana. Para os que acharam pouco, seu segundo álbum veio com mais força ainda. “Here We Go Again”, lançado em 2009, alcançou 108 mil discos vendidos na primeira semana. Sucesso no mundo inteiro, a cantora e atriz já passou duas vezes pelos palcos brasileiros. Foi ela quem abriu o show dos Jonas Brothers no ano passado e, recentemente, fez duas apresentações solo no Brasil, a primeira no Rio de Janeiro e a segunda em São Paulo. A ex-namorada de Joe Jonas, vocalista do Jonas Brothers, arrasou com os hits de seus dois álbuns e arrastou multidões em suas apresentações e por onde passou. Encantada com o público, a cantora disse que nunca viu fãs tão animados e que esses shows foram os melhores de sua vida.
Imagem: Arquivo Famosidades
Fiuk: O nome artístico de Filipe Kartalian Ayrosa Galvão já está na boca de milhares de meninas de todo o Brasil. Fiuk está mostrando que puxou o talento do pai, o cantor Fábio Jr., e está cada dia mais conhecido entre as crianças e adolescentes, tanto por sua banda Hori, onde é vocalista, quanto por sua atuação como Bernardo, o protagonista de “Malhação ID”. O sucesso é tanto que a Globo promete não dar folga. Para felicidade do público, a ordem é tentar mantê-lo no ar o maior tempo possível. Para se ter uma ideia de sua popularidade, autores de novelas e diretores de programas da emissora estão disputando Fiuk para tê-lo em suas atrações, e ainda há previsão de um quadro no "Fantástico". Além disso, o ídolo teen do momento ainda tem outro motivo para comemorar. Sua banda gravou uma faixa para o CD da trilha sonora de “Eclipse”, terceiro da saga “Crepúsculo”.
Imagem: Arquivo Famosidades
Emma Watson: A atriz conseguiu seu primeiro trabalho aos 11 anos no filme que virou um fenômeno mundial: “Harry Potter”. Consequência disso? A melhor amiga de Harry passou a ser amada por sua geração. A criança que cresceu junto ao seu público, lançará os dois últimos filmes da série agora em 2010 e em 2011. A intérprete de Hermione é hoje a atriz mais bem paga de Hollywood. Ela ficou à frente de atrizes de carreira sólida como Cameron Diaz, Angelina Jolie, Jennifer Aniston e Sandra Bullock. Emma Watson lucrou para a Warner Bros, o estúdio de “Harry Potter”, US$ 4,3 bilhões (cerca de R$ 8 bilhões) mundialmente. Ela não faz sucesso só nas telonas e no faturamento, mas também nas ruas. Ela é uma das mais queridinhas do mundo da moda. Prova disso, a atriz ganhou uma reportagem especial na revista “Vanity Fair” de junho. Nem precisa dizer que ela arrasou no editorial, né?
Imagem: Arquivo Famosidades
Miley Cyrus: A atriz e cantora norte-americana não é febre só nos Estados Unidos, ela é mundialmente conhecida por interpretar Miley Stewart/Hannah Montana na série do canal Disney Channel “Hannah Montana”, e por sua carreira musical. Em 2008, Miley foi eleita pela revista americana “Time” um dos 100 famosos mais bem pagos do mundo. Como cantora, vendeu mais de 15 milhões de álbuns com apenas 17 anos. O próximo trabalho, “Can’t Be Tamed”, chega às lojas dia 22 de junho. Nesse álbum a cantora mudou um pouco a aparência. Miley aparece mais sexy, toda vestida de preto e com um visual bem mais rocker. Após cinco anos de sucesso no seriado, ela está se despedindo da personagem Hannah Montana. Ela interpreta a cantora e estudante desde os 12 anos de idade e agora quer seguir novos desafios na sua carreira. Em breve, Miley gravará o final da temporada da personagem que conquistou o mundo.
Imagem: Arquivo Famosidades
Taylor Swift: Até mesmo quem não gostava de música country abriu os olhos para o gênero musical. O motivo? O sucesso de Taylor Swift. Aos 16 anos ela lançou o seu primeiro single, "Tim McGraw", que logo de cara alcançou a 6ª posição no ranking de vendas de músicas country. Não bastasse o sucesso de estreia, ainda em 2006, ela lançou o seu primeiro álbum e conseguiu emplacar cinco singles na lista das músicas countrys do momento. A cantora é uma verdadeira “máquina” de criar hits e está sendo reconhecida por isso. Em 2010, a nova queridinha dos americanos foi homenageada por sua gravadora em um seminário de música country. Ela ganhou um enorme quadro para comemorar os 10 milhões de discos vendidos. Além disso, ainda foi parabenizada por ter o álbum mais vendido em 2009 e bater o recorde de downloads na internet.

quarta-feira, 9 de junho de 2010

terça-feira, 8 de junho de 2010

A História de Ana Raio e Zé Trovão


Sucesso da Rede Manchete em 1991, está de volta, agora pelo SBT, "A História de Ana Raio e Zé Trovão".
A novela conta a história da órfã Ana de Nazaré (Ingra Liberato) que aos treze anos é estuprada por Canjerê (Nelson Xavier). Ela fica grávida e dá a luz à Maria Lua -- que é raptada por Canjerê.
Em busca da filha, Ana percorre todo o país. Ao longo da trama ela se transforma em Ana Raio e passa a viver uma história de amor com o também peão Zé Trovão (Almir Sater).
A história original teve 251 capítulos. Porém, no SBT, a nova edição deve ter no máximo 150.
Quase 20 anos após a primeira exibição, Ingra Liberato afirma que ainda recebe mensagens dos fãs da peoa. "É um trabalho especial, que merece ser visto outra vez", diz.
Aos 43 anos, a atriz -- que atualmente trabalha em dois filmes nacionais e na peça "Inimigas Íntimas" -- ressalta que vai adorar ser chamada novamente de "Ana Raio" nas ruas. 
Já o cantor Almir Sater, 53, confessa que esqueceu boa parte da trama e diz estar curioso para ver a reprise. Ele destaca que a produção foi bem "mais modesta e segmentada" se comparada à novela "Pantanal" [Benedito Ruy Barbosa, 1990], também reprisada no SBT.  
Outra grande atração da novela, foi o mundo dos rodeios e as comitivas de peões que viajavam o Brasil, nas principais competições desse gênero em todo o mundo.
Luxo e exuberância não faltaram nessa superprodução da TV Manchete. Novelas como essa, realmente valem a pena ver de novo.

segunda-feira, 7 de junho de 2010

Os piores times da história das copas

É fácil lembrar das grandes seleções ao longo das 18 Copas do Mundo disputadas. Por outro lado, existiram as equipes que entraram na história dos Mundiais por serem um fiasco. Com a ajuda do Terra divulgamos as 10 piores equipes da história das Copas.
 
10º LUGAR - Sérvia e Montenegro de 2006

Na única participação da seleção de Sérvia e Montenegro estava no Grupo C em 2006, ao lado de Argentina, Holanda e Costa do Marfim, naquele que era considerado o “grupo da morte”. No bom elenco nomes conhecidos no futebol europeu como Stankovic, Vidic e Zigic, por exemplo. Mas na prática, aquela equipe ofereceu pouca resistência, ao perder as três partidas que fez - goleada pela Argentina por 6 a 1 e derrotas para a Holanda (1 a 0) e para a estreante Costa do Marfim (3 a 2).
 
9º LUGAR - Grécia de 1994 

A caminho de seu segundo Mundial, a Grécia de 2010 quer apagar a má impressão deixada em 1994, quando saiu dos Estados Unidos sem marcar um ponto ou gol sequer, perdendo as três partidas do Grupo D, que ainda tinha Argentina, Nigéria e Bulgária. A situação daquele time era tão crítica que o técnico Alketas Panagoulias utilizou os três goleiros do elenco (Minou, Karkamanis e Atmatsidis) nas três partidas da Grécia naquela Copa, fato raro na competição.
 
8º LUGAR - Arábia Saudita de 2002

Uma das equipes asiáticas mais tradicionais em Copas (participou de quatro consecutivos entre 1994 e 2006), a Arábia Saudita fez a pior de suas participações em Mundiais na Coreia do Sul e Japão em 2002, quando foi eliminada após sofrer 12 gols na fase de grupos e não marcar um tento sequer. O pior dos vexames se deu contra a Alemanha, na goleada por 8 a 0, que ajudou Miroslav Klose a ser um dos vice-artilheiros daquele torneio.
 
7º LUGAR - Haiti de 1974

Outra estreante em 1974, a participação da equipe no início do torneio parecia promissora: saiu na frente da então vice-campeã Itália, na primeira partida do Grupo 4, porém, a equipe acabou levando a virada (perdeu por 3 a 1) e terminou aquela Copa com 14 gols sofridos em três jogos – goleadas por 7 a 0 e 4 a 1 diante de Polônia e Argentina, respectivamente.
 
6º LUGAR - Emirados Árabes Unidos de 1990























A única participação da seleção árabe em Copas do Mundo não traz boas recordações. Zebra de um grupo que contava com boas equipes como Iugoslávia e Colômbia, além da tradicional Alemanha, a frágil defesa da equipe sucumbiu com 11 gols em três partidas – duas delas, por goleada – ostentando a marca de pior seleção daquele torneio.
 
5º LUGAR - Zaire de 1974

Em sua única participação na história das Copas, o Zaire proporcionou momentos distintos em 1974. Ostenta a marca de ter sofrido a segunda maior goleada em Mundiais (ao lado da Coreia do Sul, em 1954), na derrota diante da Iugoslávia por 9 a 0. Além disso, protagonizou um dos lances mais bizarros da história do torneio, na derrota diante do Brasil por 3 a 0. Antes de cobrança de uma falta em favor dos brasileiros, o zagueiro Ilunga Mwepu correu em direção à bola, chutando-a para longe, logo após o apito do juiz. Depois de muitos anos, o defensor disse que a atitude foi fruto do nervosismo.
 
4º LUGAR - Bolívia de 1950

Na segunda participação boliviana em Copas (a primeira foi em 1930), a Bolívia tinha sua “melhor chance” de passar à próxima fase do torneio. Isso porque os bolivianos  precisavam apenas vencer os uruguaios (foto) para conseguir a classificação. Mas coube a Miguez (3), Schiaffino (2), Vidal, Pérez e Ghiggia marcarem o início da arrancada uruguaia rumo ao bicampeonato mundial, com a goleada por 8 a 0 sobre os bolivianos, em partida disputada no Estádio Independência, em Minas Gerais. 
 
3º LUGAR - Coreia do Sul de 1954

A Coreia do Sul fazia sua estreia em 1954, onde enfrentou um vôo cheio de complicações até a Suíça para enfrentar logo de cara a poderosa Hungria (foto), invicta há quatro anos e campeã olímpica de 1952. A goleada por 9 a 0 não foi surpresa aos sul-coreanos. Na despedida daquela Copa, outra goleada sofrida diante da Turquia (7 a 0) e a marca de equipe que mais sofreu gols em uma edição (16 gols). 
 
2º LUGAR - El Salvador de 1982

Os salvadorenhos chegaram ao Mundial da Espanha repetindo o fracasso no México - sem marcar pontos. El Salvador figura negativamente na história das Copas como a equipe que sofreu a maior goleada, quando levou 10 a 1 da Hungria. No total, foram 13 gols sofridos nas três partidas, com apenas um tento marcado – o único da equipe salvadorenha na história do torneio – pelo atacante Luís Ramirez.
 
1º LUGAR - China de 2002

Os chineses, coincidentemente disputado em seu continente, não traz as melhores recordações aos torcedores da nação mais populosa do planeta. Em um grupo relativamente difícil, a China tinha possibilidades de pontuar ou de marcar gols nas equipes medianas do Grupo C (Turquia e Costa Rica, já que o Brasil era o franco favorito). Além da goleada sofrida diante da Seleção por 4 a 0, mais duas derrotas, sem o direito de balançar as redes adversárias. Na classificação geral de 2002, a China só não esteve pior que a Arábia Saudita.
 
CRÉDITOS: TOTALCLASSIFICADOS (Douglas)